Lapidando

Diferença entre ser Independente e ser Auto-Suficiente

Coragem, Reflexões, Self, EmpreendedorismoJoana LudwigComment

Independência é diferente de auto-suficiência. 


As mulheres da minha geração ouviram que precisavam ser independentes, que não poderiam nunca depender de seus maridos. 
Isso é muito ruim, porque junto com a ideia de ser independente para não ser dependente, vem o medo de ser espontânea, de se entregar, de se relacionar, tanto nas mulheres quanto nos homens. 


A gente acha que precisa sempre vestir uma armadura e empunharuma espada. Ser mais inteligente do que bonita. Ter um "bom emprego" ao invés de ter um "bom dia". 

E se ao invés de ser independente a gente aprendesse a ser AUTO-SUFICIENTE?

Na auto-suficiência eu me conheço, sei as coisas que gosto, o que não gosto, quais são minhas vontades, o que me traz ânimo;

Respeito meu biorritmo e meu corpo (ao invés de ficar achando que preciso ter um corpo diferente do que eu tenho);

Sei qual a quantidade de dinheiro que é suficiente para eu viver bem (não sobreviver, ou viver achando que tenho que ganhar mais sempre);

Sei quais são meus projetos mais queridos, sei enxergar qual é o limite entre obrigação e diversão (ao invés de ficar sem tempo, trabalhando 24h por dia para provar para os outros que tenho valor ou que sou necessária);

Sei quais são meus potenciais, quais deles estou manifestando, e também olho com coragem para as partes que hoje não estão integradas e que me fazem pensar que seriam "fraquezas" ou "problemas" em mim (e faço alguma coisa em relação a isso).

Eu me conheço. Me aceito do jeito que eu sou. Olho para minha vida, para o meu dia-a-dia com amor e me reconheço.

 
independente-.png


Isso faz com que o que qualquer outra pessoa pensa sobre mim (tanto homens quanto mulheres), seja uma visão dela.


A pessoa que é independente tem tanto medo do que os outros falam que tem sempre que vencer discussões, isso se entrar em alguma, porque não quer nem ouvir o que o outro está dizendo, não quer aprender como o outro chegou a ter aquele ponto de vista... a pessoa independente é como um elo independente, não se abre para se ligar. Perde o propósito de ser. 


As independentes se fecham, e isso custa muito caro, principalmente no final da vida.


As pessoas AUTO-SUFICIENTES conhecem e aceitam a si mesmas, por isso podem conhecer e aceitar outros pontos de vista (talvez não concordar, mas respeitar), se abrir, se entregar, sem perder sua integridade. Inclusive, "entrega" e "íntegro" tem a mesma raiz: "inteiro" Não há medo. Não há raiva. Não há dor.


Há abertura, há vibração que atrai pessoas novas, ideias novas, situações novas.


E a expansão (o desenvolvimento), só acontece no inusitado...


Afastar as diferenças e aproximar as semelhanças é uma forma interessante de ver a vida... =)


Joana Ludwig