Ansiedade, Tempo e Autoconsciência

Modelo1.png

Uma das "doenças da moda" é a Ansiedade. (Escrevo moda entre parênteses, porque Freud já falava sobre a ansiedade/angústia na virada do século XIX...).

Existe até remédio hoje em dia para isso, mas na minha opinião, ansiedade é um efeito, portanto, qualquer remédio que se tome para isso, por melhor e mais necessário que seja de início, não cura, pois não trata da causa, sendo apenas um paliativo.

Inclusive, a palavra "paliativo" vem do latim "pallium" que significa "tapar, disfarçar, cobrir, amparar".

A maior causa dos problemas que existem com relação ao tempo, é o fato de que fomos criados para viver pensando no futuro.

Nossas decisões são sempre baseadas em futuro que pode nunca acontecer.

Tempo e espaço são totalmente interligados aqui onde estamos, e viver pensando no futuro faz com que deixemos de existir no tempo e no espaço, pois o único tempo que existe efetivamente é o "agora", que está interligado com o "aqui". Se não estou no "agora", também não estou no "aqui", e por isso, deixo de existir como o Ser Integral que sou.

Por essa razão, o primeiro passo para voltar a ter um relacionamento fortalecedor com o tempo e voltar a existir - e não apenas sobreviver, correr, lutar, resistir, etc - é voltar a viver no aqui e no agora, assim como você fazia quando era criança.

Até os 7 anos de idade estamos desenvolvendo a nossa estrutura psíquica. Ou seja, antes dos 7 anos eu ainda não coroei a minha inteligência racional e intelectual como a única inteligência real. 

O que acontece é que nosso cérebro é apenas uma ferramenta de tradução. Ela capta informações que vem de várias formas e de várias fontes e traduz para que nossa mente possa ter consciência. 

(E, na minha opinião, o caminho natural é a nossa expansão de consciência...)

Por volta dos 7 anos chegamos na seguinte configuração: somos 5% conscientes e 95% inconscientes. Nosso raciocínio lógico, o que vemos e achamos que é real, nossa memória mais recente, as palavras que ouvimos... tudo isso representa nossa mente consciente, ou seja, 5% do que somos.

Os outros 95% estão no inconsciente, que são as coisas que acontecem, que sinto, que vejo, e esqueço. É aquilo que me feriu profundamente quando eu ainda não tinha maturidade para encarar uma determinada situação, e eu prefiro "fingir" que aquilo não aconteceu, escondendo essa energia psíquica (emoção), dentro do meu inconsciente. É a minha capacidade de conexão com todas as informações que estão na malha de informações do universo (afinal, tudo é vibração, tudo é energia - comprovado pela ciência - e tudo está interconectado). É tudo aquilo que sou, mas esqueci (Se você for reencarnacionista, tudo o que você esqueceu dessa e de outras vidas...)

Isso significa que, a partir do momento que eu decido que minha mente racional é quem comanda, eu perco a minha ligação com 95% do meu potencial!

"E o que isso tem a ver com tempo, Joana???", você deve estar se perguntando...

Bem, acontece que o agora é o único tempo em que temos poder.

Se eu elejo minha inteligência racional apenas, e esqueço da inteligência que existe em todas as minhas células, esqueço da inteligência emocional, social, intrapessoal e de todas as outras inteligências que possuo, e me limito a 5% do potencial que tenho em me relacionar de forma integral com meu tempo.

"Joana, isso tá complicado! Me passe ai uma dica mão-na-massa para eu sair dessa situação!"

Ok! Aqui vai a primeira dica: ouça seu corpo! O seu corpo é algo que conecta você ao aqui/agora e ele está conversando com você a todo momento! Só que talvez, você não esteja dando ouvidos a ele. Pare por um momento e sinta: o que o meu corpo está pedindo? Um pouco de quietude? Um pouco de movimento? Ele quer que eu coloque as pernas para cima? A cabeça para baixo? Que eu deite? Que eu levante?

Trazer essas informações para a consciência é começar a ficar mais inteligente, porque essas informações já estão no seu inconsciente (os 95% de quem você é e ainda não sabe), e são muito ricas!

Essa semana atendi uma cliente linda que recebeu uma proposta de um novo cargo na empresa. A mente racional disse sim, mas o corpo... ah, o corpo! Ela aceitou o cargo na empresa, e no mesmo dia, ao chegar em casa, passou mal, ficou desanimada, não queria nem levar o cachorro/filho para passear... O corpo disse "NÃO" em letras garrafais.

Seria certo ela ouvir o corpo e dizer não? Seria certo ela ignorar o corpo e dizer sim? Lembre-se: não existe certo ou errado. Existe consciência. Ela tomou consciência da informação que o corpo trouxe a ela. E agora vai ficar atenta ao que acontece nesse novo cargo... Isso é viver o aqui/agora. Isso é existir.

Quantas vezes seu corpo fala com você e você o ignora? Às vezes o que ele precisa é de um pouquinho de imobilidade... Ficar parada, deitada no sofá, na grama, na rede... Porque você acha que isso é perda de tempo? ISSO É VIDA! É viver o aqui e agora.

Às vezes seu corpo grita por um pouco de movimento! Chega de ficar sentada, minha filha! Bora andar um pouquinho! Pisar na grama, na areia, sentir a brisa no rosto, ou o suor na pele, a serotonina fazendo efeito!

Tato, olfato, paladar, audição, visão... olha quanta informação chegando! Ouça seu corpo. Dê voz a ele. E aumente esses 5% de consciência. Isso é existir. E isso é só o começo...

 

Jo Ludwig

Sobre o Tempo - 2

Uma vez recebi do mestre José Roberto Marques a seguinte informação:

Existe o tempo de Cronos, que é o tempo linear do relógio, e existe o tempo de Kairos, que é o tempo de Deus, o tempo do não tempo... 


E a vida me traz essa experiência cada vez mais, de várias formas, todos os dias: Precisamos criar metas e estratégias no tempo de Cronos, pois isso nos traz as realizações tangíveis, a prática, a experiência, o movimento. 
Mas a verdadeira vida acontece no tempo de Kairos, onde o único controle/poder que temos é o de Amar. 
E amar é viver o momento presente com coração e mente abertos: sem culpa ou ressentimentos passados, sem preocupação e medo do futuro.


Nesse agora, esqueça os rótulos, as obrigações e papéis (seus e dos outros), e ame. 
Aceite as pessoas como são. 
Transforme as "diferenças" em "complementos". 


Viva o "amor" tão profundo e incondicional, não só para os seus, mas para todos, pois todos somos uma grande família.
Seja mãe de gente, mãe de bicho, mãe dos pais, mãe dos amigos, seja você homem ou mulher: ame!
 

Jo Ludwig

Sobre o Tempo - 1

Você sabia que a palavra "calendário" não tem nada a ver com a marcação da passagem do tempo?

Calendário vem do latim "kalendae" que significa “livro de contas”. Kalendae era o nome dado em Roma ao primeiro dia de cada mês, época em que os EMPRÉSTIMOS venciam e deviam ser acertados os negócios.

E esse nome veio do verbo calare, “anunciar publicamente”, que deriva do Indo-Europeu gal-, “gritar, chamar”.

A reflexão é: se você acha que tempo é dinheiro e trabalha 24h por dia para pagar contas, independente de gostar ou não do que faz, saiba que você está totalmente fora dos ciclos naturais do tempo... repense! 

 

Jo Ludwig

É sempre fácil...

"É sempre fácil examinar as consciências alheias,
identificar os erros do próximo,
opinar em questões que não nos dizem respeito,
indicar as fraquezas dos semelhantes,
educar os filhos dos vizinhos,
reprovar as deficiências dos companheiros,
corrigir os defeitos dos outros,
aconselhar o caminho reto a quem passa,
receitar paciência a quem sofre
e retificar as más qualidades de quem segue conosco...
Mas enquanto nos distraimos,
em tais incursões a distância de nós mesmos,
não passamos de aprendizes que fogem, levianos, à verdade e à lição."


Chico Xavier

Bom ou Mal?

Talvez o maior obstáculo ao nosso despertar seja essa tendência humana em ver tudo como bom OU mal…

É como a luz que possui várias ondas que formam as cores.

O azul não é bom nem mau, assim como o vermelho ou o verde não podem ser definidos como cores melhores ou piores.

Todas essas vibrações estão contidas na luz (inclusive os comprimentos que não vemos, como o infravermelho, o ultravioleta…) e quando observadas, como no arco-íris, se tornam elementos que se complementam, formando uma visão encantadora…

 

Assim é você, com toda a sua miríade de vivências.

Assim somos todos.

Assim é a natureza da qual somos feitos.

Assim é o universo.

ACEITAÇÃO é a palavra.

Jo Ludwig